• Sâmia Simurro

Relacionamento Afetivo no Ambiente de Trabalho

AUTORA: Sâmia Aguiar B. Simurro  


Relacionamento Afetivo no Ambiente de Trabalho

A vida moderna impõe, cada vez mais, que as pessoas mantenham um ritmo tão acelerado, que pouco sobra para o repouso e lazer. É fato de que o trabalho ocupa a maior parte do nosso tempo, e as inúmeras e diversas demandas diárias, costumam absorver as pessoas no trabalho, muito mais do que oito horas. É cada vez mais comum se trabalhar sábado e, em alguns casos, também no domingo. O total envolvimento com a profissão é quase que inevitável nos dias de hoje e inevitável também é que, em algumas situações, o relacionamento afetivo aconteça dentro desse ambiente. Isso porque o amor, sempre imprevisível, nem sempre é pontual. Ele acontece onde menos esperamos e nas mais variadas situações.


Pessoas que trabalham intensamente podem não conseguir tempo livre para outros envolvimentos e o trabalho pode se transformar num facilitador de encontros. Às vezes é no trabalho que se encontra o “parceiro”, pois é lá que se encontram pessoas com objetivos comuns, com os mesmos interesses e o mesmo grau de instrução. É muito fácil a afinidade num universo tão semelhante. Neste caso, o trabalho, também pode possibilitar o encontro com o outro. Afinal, é no trabalho que se compartilha a experiência, compartilha a satisfação ou insatisfação, que se produz e que se pode também compartilhar os sucessos e lucros.


Por todos esses motivos acima, os relacionamentos amorosos no ambiente de trabalho são muito mais comum do que se imagina. Uma relação muito delicada que, deve ser dosada com muito bom senso para que não se perca os limites entre o que é vida profissional e o que é pessoal. É que quando essa situação se apresenta, é preciso que se dê a exata atenção que cada situação exige. Para que se administre essa situação de forma equilibrada, exige que os parceiros estejam dispostos a flexibilizar, buscando formas de separar os diferentes contextos dessa relação.


Alguns cuidados devem ser observados para se manter a tênue linha de separação entre o que é pessoal e profissional de forma satisfatória e se tirar o melhor proveito da situação de cumplicidade no trabalho:


  1. Não perca o foco e o entusiasmo em seu trabalho. Mantenha o comprometimento com o trabalho como sempre foi.

  2. O autoconhecimento é importante para entender suas emoções e saber direciona-las de forma produtiva.

  3. Não leve conflitos pessoais para o trabalho. Os problemas particulares são para serem resolvidos fora da empresa.

  4. Seja discreto. Evite beijos e abraços no ambiente de trabalho, não comente a relação com seus colegas no trabalho e evite dar margem para fofocas.

  5. Se sua posição de hierarquia é mais alta, não use isso a favor ou contra o seu parceiro.

  6. No caso de rompimento, mantenha a serenidade e não permita que isso afete seu relacionamento profissional com a pessoa e na sua produtividade.


É sempre bom lembrar que, algumas empresas já têm políticas para esse tipo de situação em seu código de conduta e é uma boa idéia consultar, pois, enquanto algumas não têm restrições, outras proíbem ou permitem apenas em setores diferentes. Além disso, como em qualquer relacionamento, exige que a pessoa tenha a postura do bom senso e dispense tempo e energia para sintonizar com o outro e realmente formar uma parceria que pode ser de muito sucesso.


SÂMIA AGUIAR BRANDÃO SIMURRO

Lattes: http://lattes.cnpq.br/2611850276095521

Mestre em Psicologia USP.

Sócia Diretora da Empresa SeR – Psicologia.


#dicasdeblog #WixBlog

7 visualizações

Psicologia & Coaching

Telefone - SER
Email - SER
Facebook - SER

+55 11 3284-5337 

ser@ser-psi.com.br

 

Av. Brigadeiro Luís Antônio,2503, cj 14, Jardim Paulista, São Paulo - SP

Telefone - Rachel
Email - Rachel
Linkedin - Rachel

+55 11 97206-4478

rachel@ser-psi.com.br

Rachel Skarbnik

Telefone - Sâmia
Email - Sâmia
Linkedin - Sâmia

+55 11 97206-4476

samia@ser-psi.com.br

Sâmia Simurro

© 2019 por SER-PSI